quarta-feira, 24 de junho de 2009

Adaptação

O roteirista Bráulio Mantovani vai adaptar o jogo Agent in Place, criado por Flint Dille para a Union Entertainment, para a telona. A notícia foi divulgada há uns 15 dias. Não comentei antes porque estava enroladíssimo, como expliquei no post anterior. Já o filme, será dirigido por José Padilha, que dirigiu Tropa de Elite.
A dobradinha é muito boa e deve render bem no filme. Padilha está trabalhando na produção do filme The Sigma Protocol, que é baseado num livro de Robert Ludlum.
Ludlum teve sua trilogia Bourne (Identidade Bourne, Supremacia Bourne e Ultimato Bourne) adaptado para o cinema e fez muito sucesso. Todo mundo sabe disso.
O aspecto interessante dessas adaptações é que elas podem fugir muito do original, como aconteceu com Bourne. Os livros foram escritos na década de 80 do século passado e não falavam de praticamente nada do que fala o filme.
Nos filmes, Bourne é uma espécie de agente programado para ser um assassino que não questione as ordens que recebe. Uma ferramenta ideal para a política externa norte-americana pós 11 de setembro. Ele - e os outros assassinos programados - cumpririam missões de matar terroristas e pessoas ligadas a ações terroristas, sem que houvesse julgamentos. Os americanos já fizeram isso dentro de seu próprio território no final do século XIX, com os Texas Rangers caçando criminosos e julgando-os "in loco" no velho oeste.
Nos livros, Bourne é um agente que tem como missão caçar e prender o terrorista Carlos (O Chacal). Ele fica disfarçado por anos como um assassino profissional fazendo frente às ações de Carlos, para forçá-lo a "sair de sua toca". No final das contas, existem poucos pontos de contato entre o livro e os filmes.
Agent in Place ainda é inédito e realmente não tenho a menor idéia da trama. O negócio é torcer pelo trabalho de Mantovani e Padilha.