terça-feira, 15 de junho de 2010

Irã

A intervenção brasileira na questão do Irã é 10. No entanto, quando o ministro Celso Amorim afirma que é melhor para o planeta o desarmamento nuclear, surgem algumas dúvidas. Se voltarmos atrás na história, veremos que o mundo teve mais conflitos entre as grandes potências quando não existiam armas de destruição de massa. Eliminar os arsenais nucleares não causaria uma precipitação para conflitos? Não podemos desconsiderar o papel das bombas atômicas como sustentáculos de uma paz armada, de uma paz nuclear. Veja o que acontece entre a Índia e o Paquistão.
O grande erro foi ter começado a corrida nuclear. Temos algum tipo de volta? Não sei.
O que sei é que o mundo inteiro dá ouvidos à única potência que já usou armas nucleares, ainda por cima contra populações civis.
Os Estados Unidos hoje se posiciona como arauto da paz e é o que mais guerreia. Afirma que o Irã ou a Coreia do Norte têm governos loucos que seriam capazes de usar bombas atômicas, mas apenas eles usaram até hoje. E pior, cogitaram usar também no Vietnã e no Afeganistão.