segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Herói 2

Souvenir Iraquiano e Fronteira são provas de que é possível criar romance de espionagem no Brasil atendendo a principal "regra" do gênero: o pacto de veracidade. Uma boa teoria da conspiração deve ser plausível. Deve dar a impressão ao leitor/espectador que ela tenha realmente ocorrido. Souvenir tem como pano de fundo a ligação do Brasil com o programa nuclear de Saddam Hussein, diretamente na construção da usina nuclear de Osirak. Fronteira tem como ponto de partida uma missão do SNI na Somália, no início dos anos 80. Meu futuro livro, Neutralidade, terá como ponto de partida a possibilidade (real) da Argentina ter emparedado, no início da guerra, a Inglaterra. Meu próximo projeto, após esse, será ligado a uma operação do SNI no Suriname, a pedido da CIA. Tem tema...