quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Tropa de Elite Osso Duro de Roer 2

Amanhã quero ver Tropa de Elite 2. Tentei ir no final de semana, que foi prolongado, mas não deu. A intenção é ver o filme e depois escrever alguma coisa para postar aqui. Gostei do primeiro. Considero um marco do cinema de entretenimento no Brasil. O motivo é simples: o filme, para mim, soube ser maniqueísta na dose certa. Acontece que a grande maioria dos intelectuais no Brasil não curte muito maniqueísmo. Isso, de certa forma, é uma espécie de maniqueísmo, porque você estabelece que uma coisa não presta e pronto.
Tropa de Elite se deu ao direito de ter um herói, o capitão Nascimento. Teve gente chamando ele de anti-herói, o que, eu acho, não convém. O fato de Nascimento não agir de acordo com a forma como a crítica especializada espera que ele devesse agir, não o coloca como um anti-herói. Exemplifico: John Rambo é herói. A estrutura dos filmes (e do livro) que exploram o personagem não deixa dúvida. No entanto, ele não age como hoje poderíamos chamar de "politicamente correto". Mas alguém tem alguma dúvida de que seja herói?