segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Cientista assassinado no Irã

Seria isso o longa braço da CIA e do Mossad?

Cientista nuclear é assassinado no Irã

Explosões deixam mais três pessoas feridas, uma delas é outro físico; televisão acusa Israel

29 de novembro de 2010 | 7h 42

TEERÃ - Um professor universitário e físico nuclear foi morto na explosão de um carro-bomba em Teerã nesta segunda-feira, 29, indicou a o canal iraniano Al-Alam.

Três outras pessoas ficaram feridas em outro atentado semelhante na cidade. A emissora disse que um dos feridos no segundo atentado também era professor de física nuclear.

O cientista morto é Majid Shahriari, da Universidade Shahid Beheshti, informou a agência estatal de notícias iraniana, a Irna. É a segunda morte de um cientista nuclear provocada por um atentado no ano - a primeira ocorreu em janeiro.

Segundo a Irna, homens em motocicletas colocaram bombas nos carros dos cientistas enquanto eles se dirigiam ao trabalho. O canal acusa Israel, principal inimigo do Irã no Oriente Médio, de estar por trás dos atentados.

"Em um ato criminoso de terrorismo, agentes do regime sionista atacaram dois proeminentes professores universitários que estavam a caminho do trabalho", diz uma nota no site da Irna. O professor ferido é Fereydoon Abbasi. As outras duas pessoas feridas são as esposas de cada um dos cientistas.

Segundo o site conservador Mashreghnews, Abbasi é "um dos poucos especialistas que pode separar isótopos" e é membro da Guarda Revolucionária desde a revolução de 1979.

O Irã diz que seu programa nuclear é puramente pacífico, voltado para a produção de energia nuclear, mas a suspeita de que esteja procurando fabricar armas atômicas levou as Nações Unidas, a União Europeia e os Estados Unidos a imporem várias rodadas de sanções contra o país.