sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Explicando melhor

O blog oficial da Liga Humanista Secular do Brasil (LiHS) postou durante algumas horas hoje um de meus artigos aqui do blog texto_secreto. Deu uma baita confusão. Muita gente parece não ter entendido o meu estilo seco de escrever. O post em questão foi "A Grande Discussão" e um trecho em especial causou furor entre os frequentadores daquele blog:

"Os eventos recentes no Rio de Janeiro vão, provavelmente, levantar muita discussão. Um dos motivos é óbvio: a questão dos direitos humanos. Depois que o ímpeto dos soldados do tráfico diminuir, quando eles perceberem que perderam a "parada”, vão levantar as mãos, jogar as armas no chão e posarão de vítimas. Os policiais, ainda sob o forte efeito do estresse do combate, vão descer a lenha. Ativistas dos direitos humanos vão lascar a ripa em cima dos policiais e perderemos a chance de dar um forte baque no crime organizado."

Teve gente que achou que eu estava defendendo o extermínio de traficantes no Rio de Janeiro. Não é verdade. O texto é direto, narrando eventos que "deverão" acontecer, independentemente da vontade de qualquer um.

Mas acho que cabe uma explicação sobre o trecho "perderemos a chance de dar um forte baque no crime organizado"

Não estou dizendo que o baque será o extermínio, mais uma vez. O que disse é que a partir do momento em que ativistas, imprensa e sei lá mais quem cair de pau em cima das forças do Estado por causa dessas mortes a ação perderá força, será desvirtuada, como já aconteceu outras vezes. Por isso citei que "Ativistas dos direitos humanos vão lascar a ripa em cima dos policiais". Ou alguém imaginou que eu disse que os ativistas exterminariam os policiais?

Opinião todo mundo tem, mas acho que é uma questão de lógica julgar que essa ação, nesse momento, precisa ser executada com a força necessária para sustar o poderio dos traficantes, e seguir adiante com a intensidade suficiente para desestimular de uma vez por todas a adesão ao tráfico. E ainda mais, como disse em outro post: sufocar o crime organizado para que ele, na tentativa de conseguir "mais ar", acabe colocando a cabeça para fora.

Isso seria exatamente o ato dos "mandantes" verdadeiros acabarem se expondo, porque está claro, há muito tempo, que os chefões do crime organizado no Brasil não estão nos morros cariocas. Até mesmo porque o crime organizado no Brasil não se resume ao tráfico de drogas no Rio.

Mas a verdade é que seja no Brasil, na França ou nos Estados Unidos, os grandes chefões do crime organizado estão muito bem blindados. Não é fácil levantar provas e muito menos condenar. Mas uma coisa é verdade: quando são presos, geralmente não recebem a polícia à bala. Vide o caso da prisão do Daniel Dantas, não é verdade?

Espero que as coisas fiquem mais claras assim.