sábado, 27 de novembro de 2010

Momento Histórico por causa de um filme?

Sim. Exatamente isso. Caso não fosse a exibição do filme Tropa de Elite 2, nada do que estamos vendo no Rio de Janeiro estaria acontecendo.
O filme não foi culpado pelos ataques dos traficantes. Muito pelo contrário.
Tropa de Elite 2 é responsável hoje pela postura dos policiais e dos soldados envolvidos nessa mega operação.
Eles hoje estão com orgulho de sua missão, de seu trabalho. Hoje eles não querem manchar o distintivo, não querem deixar nódoas para trás. Querem honrar a profissão, que muitos colegas trataram de manchar ao longo de décadas.
Quando a revista Veja mostrou o comandante Nascimento (Wagner Moura) em sua capa, chamando-o de herói, estava documentando uma virada histórica que comentei aqui no meu blog. Não víamos heróis em nossa ficção há mais de um século, e heróis são fundamentais para qualquer cultura. Heróis são modelos, são exemplos. Nossos policiais não tinham exemplo.
Agora eles têm.
Na década de 90 um general britânico disse que o filme Top Gun vencera para os EUA todas as guerras que ocorreram desde os anos 80. Vencera porque conseguiu projetar uma imagem de invencibilidade que não existia, por exemplo, no Vietnã. Os vietcongs não "sabiam" que os ianques eram "invencíveis", por isso os venceu.
A grande máquina de guerra dos EUA é cheia de falhas, mas seus inimigos modernos, mais atuais, nunca as exploraram, devido à propaganda da ficção ianque.

Não considero Tropa de Elite 2 uma propaganda. Nada disso. O filme é um resgate do orgulho de ser brasileiro. Por isso acho que a partir de hoje ninguém mais deveria dizer "isso só acontece no Brasil", "tinha que ser no Brasil", "tinha que ser brasileiro"...
Acho isso porque estamos vendo claramente o que um filme fez pelo Brasil.

Boa sorte aos rapazes das forças de segurança. Sorte e bom senso.