domingo, 28 de novembro de 2010

Operação em andamento

Ainda bem. A invasão não ocorreu à noite. Por mais que o pessoal do Bope esteja acostumado a atuar à noite, eles estão nessa operação há dias, muitos sem dormir direito. Isso causa um desgaste grande no combatente.
O grande perigo não seria nem a ação propriamente dita, a incursão e o combate, mas sim as incontáveis situações de refém que poderiam - e que ainda podem ocorrer. Apesar da população estar a favor da ação das forças de segurança, civis ainda podem ser tomados à força para formar um escudo humano de defesa dos traficantes.
Segundo dados da polícia, divulgados ontem, estavam acantonados no Complexo do Alemão cerca de 600 homens do tráfico (no total, são 16 mil pessoas "contratadas" pelo tráfico no Rio), e menos de 100 teriam sido presas até agora (10h47 horário de Brasília). O grande problema agora é que muitos desses 600 homens nunca foram fichados, e isso a própria PM afirmou ontem.
Então como serão presos?
O procedimento é deter o suspeito e levar para averiguação. Nada constando contra o cidadão ele será liberado.
Esta talvez seja a única falha da operação até agora. Mas uma falha paradoxal.
Seria necessário fazer o flagrante dos homens do tráfico com as armas e munições, assim como com a droga. Mas eles tiveram tempo de esconder esse material. No entanto, um flagrante seria muito perigoso para a população.

Este é o trabalho duro das forças de segurança e por isso devem contar com todo o apoio da população, da mídia, do governo. Será muito fácil apontar falhas ao final dessa ação, independentemente de qualquer coisa. Somente a união em torno de uma nova política de segurança no Brasil, que começa agora, poderá dar continuidade ao bom trabalho que está sendo feito.