sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Olhos de quem escreve romances de espionagem

É bom, em um momento como esse, olhar as coisas com os olhos de quem escreve romances de espionagem. Isso porque as coisas nunca são preto no branco. Sempre há um motivo por trás de outros que são usados como fachada. A conquista da chamada rota da seda, o caminho repleto de recursos naturais que vão da Europa até a China, é um sonho antigo dos ocidentais e vem sendo levado a cabo pelos americanos.
Eles precisam isolar Israel de qualquer risco de ser atacado no caso de uma invasão do Irã. Por isso a Primavera Árabe.
Essa estratégia é uma forma de neutralizar governos hostis sem que seja necessário enviar tropas. Basta treinar e municiar forças locais - além de prometer cargos com altos salários na nova ordem política e social que surgirá no país.

Mas será que mesmo conseguindo neutralizar o norte da África e o Oriente Médio seria possível aos EUA invadir o Irã?
Será que os EUA teriam meses e meses para fazer um cerco ao país, assim como fizeram com o Iraque?

A tão falada mobilidade do maior exército do mundo é uma balela. Em 1991 os EUA levaram de agosto a janeiro para lançar o primeiro ataque contra o Iraque. Não foi diferente em uma série de conflitos seguintes. Quantos meses precisaria para cercar o Irã?

Ora, eles já tem forças no Iraque, no Afeganistão e em países muçulmanos da CEI, ao norte do Irã (forças mercenárias). Mas eles não têm controle sobre a situação.

Não mesmo.

Nos últimos dias, uma unidade dos superhomens do SEAL, o mesmo pelotão que fez a super mega operação que matou (???) Osama Bin Laden, foi destroçada por forças subnutridas afegãs. Mortos em combate os super soldados dos EUA.

Os EUA, por mais que queiram provar isso nos filmes, nunca foram bons em infantaria. Nem os britânicos. Na guerra das Malvinas, mandaram guerreiros Ghurka fazer a parte suja do negócio. Os tão falados SAS conseguem entrar em ação com meses e meses de treinamento e em caso de retaliação zero.

Será que os iranianos vão deixar uma coalizão se formar ao seu redor durante meses, sem falar nada?

Será que o mundo vai deixar isso acontecer?
O mundo, e nós, brasileiros.

Nós temos o pre-sal. E já tem gente querendo tirar eles de nós.
Nós temos a maior capacidade do mundo de plantio, de agronegócio, e querem ferrar com a gente.

Não é preciso ser escritor de romances de espionagem para enxergar essa "teoria da conspiração".... afinal de contas, nem teoria é... é prática