quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Drogas sustentam o tráfico?

O tráfico de drogas é uma indústria que move bilhões de dólares todos os anos, em todo o mundo. Se existe consumidor, existe o comércio. Se existe esse comércio ilegal, existe concorrência ilegal e violenta. Existe também a repressão (afinal de contas é crime), que gera a violência.
Dizer que o consumidor de drogas fomenta o tráfico não é mentira. A demanda existe, logo criam uma indústria. Se essa indústria alimenta a corrupção e a violência, isso não isenta a culpa de quem gera a demanda.
O consumidor pode dizer que o Estado erra ao não dar educação para que ninguém precise trabalhar para o tráfico, mas esse mesmo consumidor veria como a ausência no mercado do produto que ele quer? Ele pagaria mais, e isso alimentaria o mercado de qualquer jeito.
O consumidor critica o Estado por não dar educação para que ele próprio não tivesse chegado ao consumo? O Estado está aí para proteger o cidadão de si mesmo? O Gilmar Mendes acredita nisso e quer vetar a lei da Ficha Limpa por esse motivo.

Autoridades internacionais que combatem o tráfico há décadas dizem que não dá mais para continuar a repressão, que não funciona. A saída seria liberar, mas como, quando?
A meu ver, a liberação seria uma saída, mas não com as coisas do jeito que estão. É preciso reduzir a indústria, seu exército, seu arsenal. Caso contrário essa massa criminosa vai migrar imediatamente para outros "negócios" assim que o tráfico deixar de existir.
A demanda deve ser reduzida, o tráfico deve ser sufocado, a corrupção deve ser desmantelada a níveis aceitáveis - nunca serão erradicados, seria utopia.
Depois disso dá para falar em liberação, não enquanto traficantes estiverem armados com lança-foguetes, fuzis automáticos e granadas anticarro.