sábado, 27 de novembro de 2010

Guerra na noite

Corrijam-me se estiver errado, mas já usei óculos de visão noturna e não é muito fácil de se adaptar. Ele tira um pouco da espacialidade. Mesmo os usados por pilotos de helicóptero Apache sentem esse problema. Espero que a invasão, se for efetuada hoje à noite mesmo, seja realizada por pessoal bem experiente nesse tipo de combate.
A superioridade numérica existe, mas são 600 soldados do tráfico lá dentro que devem ter guardado algumas surpresas para as forças de segurança.
No entanto, não há mais como voltar atrás. O momento é histórico mesmo e é preciso aproveitar esse espírito de justiça. Quem se render será preso, ponto final. Mas, como diz o porta-voz da PM, deve entregar suas armas.
Quem decidir ficar lá em cima é porque está apostando que o Estado vai recuar. E mais, deve estar apostando em usar o escudo humano que o Complexo do Alemão oferece.
Por isso acho que qualquer vacilo será muito problemático para as forças de segurança.
Se conseguirem, nesta noite, avançar algumas centenas de metros e não deixarem ninguém fugir, já será uma grande vitória. Considero mesmo muito melhor que toquem o terror sobre os criminosos, que não deixem ninguém dormir. Que façam investidas isoladas de incursão e recuo, fustigando a resistência dos criminosos.
É melhor deixar para amanhã pela manhã fazerem uma investida realmente forte e decisiva.


Confira meus livros "Souvenir Iraquiano" e "Fronteira"